Notícias

02 de Julho, 2015

Saiba como reduzir o nível das emissões de enxofre no meio ambiente

Atualmente há muita preocupação em regulamentar os níveis de emissão de poluição no meio ambiente, diversas legislações sobre poluição do ar, tais como a Lei do Ar Limpo regulamentaram regras para a diminuição dessas emissões. A Lei do Ar Limpo apresenta regras como diminuição do nível de chuva ácida por emissão de gases tóxicos por usinas movidas a combustíveis fósseis e outras fontes industriais. Desta forma, as industrias vem se adaptando a estas regras adotando sistemas de dessulfurizarão de gases de combustão, também conhecido como lavadores.

Sistemas de dessulfurização de gases úmidos ou sistemas de depuração são uma excelente maneira de reduzir as emissões de dióxido de enxofre causadas por caldeiras de combustão de carvão. O gás de combustão descarregado da caldeira é enviado para o absorvedor. No absorvedor, uma mistura de água e calcário  é pulverizada sobre o gás de combustão. A suspensão de calcário absorve o dióxido de enxofre (SO2) contido no gás de combustão para diminuir as emissões de enxofre. O calcário reage com o SO2 para produzir sulfito de cálcio. O sulfito de cálcio, em seguida reage com o oxigênio e, em seguida, é finalmente removido como gesso.

Este processo diminui a emissão de enxofre no meio ambiente  e gera como resíduo uma suspensão de calcário e gesso que é muito abrasivo. Medidores magnéticos são normalmente utilizados para medir e controlar esse tipo de resíduo (fluido com suspensão de calcário) direcionado aos pulverizadores.

Os revestimentos do tipo PTFE  nos medidores de vazão magnéticos para estas aplicações apresentam uma expectativa de vida curta por não suportarem a abrasividade da lama. A utilização de revestimentos sem tela metálica e eletrodos expostos ao fluido de processo expõe os medidores a falha. Uma vez que o revestimento se desgasta ou o selo em torno do eletrodo é corroído, o fluido do processo pode, então, atacar a parte interna (bobinas e cabos do eletrodo) e deteriorar o revestimento.

Além disso, a utilização de eletrodos com a face sobressalente ao revestimento pode criar um aumento do ruído pela presença do calcário ou gesso colidindo com o eletrodo. Desta forma a saída do medidor apresentará erros na leitura indisponibilizando o uso do medidor para controle.

A instalação incorreta do medidor também pode contribuir para problemas na medição. Além da consideração de instalação quanto as distâncias de trecho reto, a velocidade de fluidos tipo lama devem ser mantidas dentro de certos limites. Caso a velocidade seja inferior a 1,5 m/s os sólidos em suspensão podem assorear no tubo. Em uma instalação do medidor em uma posição horizontal pode gerar desgaste fazendo com que a parte inferior do medidor seja desgastada rapidamente.

Solução

O medidor magnético AXF é uma excelente escolha para esta aplicação. Por conta do revestimento em PFA que apresenta melhor qualidade que o PTFE além de ser moldado com tela metálica protetora e eletrodo por inserção contra infiltrações do fluido do processo. Aumentando o tempo de vida do medidor.

Por conta do formato do eletrodo ser faceado com o revestimento a probabilidade de ruído causado pelo choque de sólidos do fluido é menor.

O uso de chapéu metálico (figura abaixo) como anel de aterramento também é uma alternativa e diminui o desgaste do revestimento. Onde o chapéu metálico não puder ser aplicado, pode-se utilizar revestimento do tipo cerâmico.

ADMAG - AXF

-Revestimento em PFA moldada com tela metálica protetora;
-Eletrodo com design antivazamento;
-Eletrodo faceado com o revestimento;
-Dupla frequência de Excitação (melhorada)
-Excelente desempenho com fluidos tipo lama;

 

Saiba mais em www.yokogawa.com.br